Página Inicial Notícia

SAÚDE 21/01/2022 Médico pediatra de Franco da Rocha, Dr. David Lustosa Nogueira responde as principais perguntas da população sobre a vacinação infantil

Médico pediatra de Franco da Rocha, Dr. David Lustosa Nogueira responde as principais perguntas da população sobre a vacinação infantil

Neste sábado (15), Franco da Rocha iniciou a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. Inicialmente, foram imunizadas crianças com comorbidades e neste momento, estão sendo vacinadas crianças de 6 anos ou mais sem comorbidades.

Até agora, mais de 300 pequenos franco-rochenses já receberam a primeira dose, no entanto, para os pais ou responsáveis que ainda estão com dúvidas sobre a segurança e eficácia da imunização infantil, o pediatra Dr. David Lustosa Nogueira, que atua há 35 anos na área, 33 desses em Franco da Rocha, respondeu às principais perguntas enviadas às redes sociais da Prefeitura. Confira abaixo:

- Quais reações as crianças vacinadas podem apresentar?
As reações à vacina contra a Covid-19 são comuns a todas as demais vacinas que as crianças tomam, como febre, dor no corpo, mal-estar, algum desconforto e, excepcionalmente, assim como ocorre com outros imunizantes, é possível que haja reações mais severas, que são extremamente raras. Não devemos contar com essas reações.

Crianças alérgicas a medicamentos, ou as que têm alergias respiratórias, como rinite ou asma, alergias a alimentos, à proteína do leite de vaca, enfim, todos os alérgicos podem ser vacinados sem nenhuma precaução adicional.

- A vacina contra a Covid-19 é segura para as crianças?
Sim, é efetivamente uma vacina muito segura para ser feita em crianças. Inclusive, a mesma vacina já está sendo aplicada em outros países da Europa, América do Norte e todos os órgãos responsáveis pela aprovação e pela segurança das vacinas aprovaram o imunizante.

- Por que a dose da vacina em crianças é menor do que a dosagem para adultos?
A dosagem para crianças corresponde a um terço da dosagem dos adultos, quantidade suficiente para induzir a imunidade nas crianças dessa faixa etária. E isso ocorre com outros imunizantes também, por exemplo, a vacina contra a Hepatite B, que todos os bebês fazem ao nascer e depois aos dois, quatro e seis meses, é metade da dose que um adulto recebe. Essa dosagem não é uma exclusividade da vacina contra a Covid.

- O RNA mensageiro da vacina da Pfizer traz algum risco?
Não há risco pelo fato de ser essa a metodologia de produção da vacina da Pfizer. Cada vacina tem uma técnica de produção, e algumas vacinas para determinadas doenças têm várias metodologias, como é o caso da vacina contra a Covid. Há o método do RNA mensageiro, do vírus inativado, que é o mais tradicional, como é o caso do imunizante da Coronavac.

- O fato da vacina ter sido desenvolvida rapidamente traz algum risco? Ela é experimental?
Não, as vacinas foram desenvolvidas rapidamente, porém, a tecnologia para o desenvolvimento dessas vacinas já existia antes mesmo do surgimento da Covid-19. A maioria das vacinas são desenvolvidas mais lentamente por questões de financiamento e, no caso da vacina contra a Covid, houve um financiamento em massa que ajudou a agilizar o processo.

- A vacina pode ter efeitos colaterais nas crianças?
O efeito colateral mais temido e que tem sido mais divulgado, a miocardite viral, que é uma inflamação do músculo cardíaco, é um possível efeito colateral da vacina contra a Covid e, na maior parte das vezes, é absolutamente controlável. Temos que saber que a Covid-19 e outras doenças também causam miocardite e de maior gravidade que a vacinação contra a Covid, de maneira que, corre mais risco de desenvolver essa doença quem se contamina com a Covid-19 do que quem toma a vacina. O custo-benefício da vacinação é muito maior que esses efeitos adversos extremamente raros.

- A Organização Mundial de Saúde(OMS) e entidades médicas recomendam a vacinação de crianças contra a Covid-19?
A vacina contra a Covid do laboratório Pfizer direcionada à faixa etária de 5 a 11 anos, é recomendada pela OMS e outras inúmeras entidades médicas, entre elas a Sociedade Brasileira de Pediatria, a Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia, a Sociedade Brasileira de Infectologia e pela própria Sociedade Brasileira de Cardiologia, no que se refere à questão do efeito colateral da miocardite.

A vacina é um recurso extremamente importante na prevenção de doenças, e nós brasileiros, em especial os franco-rochenses, temos uma tradição em nos vacinar, protegendo nossas crianças, e mesmo adultos e idosos, e todos sabemos das vantagens que a imunização traz para a saúde das pessoas. Em relação à Covid, não é diferente, todos nós já vimos os benefícios que a vacinação trouxe, como a queda nos casos de Covid, os casos de internação, de ocupação de UTI e, principalmente, os casos de óbitos em decorrência da Covid. Esses mesmos benefícios acontecerão com a vacinação de crianças de 5 a 11 anos, então eu oriento que todas as famílias levem seus filhos para fazer a vacinação porque ela é muito importante e, certamente, trará muitos benefícios para todos nós.

Novo imunizante liberado para crianças

Nesta quinta-feira (20), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) liberou a imunização de crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos com a vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan. A vacina precisa de duas doses para imunização completa com intervalo de 28 dias. Crianças com cinco anos só poderão receber a vacina da Pfizer, seguindo a determinação da agência.

A principal diferença entre a Coronavac e o imunizante da Pfizer está na tecnologia utilizada na fabricação. enquanto a Coronavac utiliza o vírus inativado para estimular uma resposta do organismo e imunizar contra a Covid-19, a Pfizer usa a tecnologia de RNA mensageiro, ou seja, uma molécula sintética do vírus instrui o organismo a produzir as proteínas encontradas na superfície, dificultando a invasão das células humanas. As duas vacinas foram aprovadas pela Anvisa e são comprovadamente eficazes contra a Covid-19.

Onde tomar a vacina?
Sala de vacinas da Praça da Saúde (rua Nelson Rodrigues, s/n - Centro): segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, sábados e domingos, das 8h às 16h;

Unidades Básicas de Saúde: segunda a sexta-feira, das 8h às 16h e aos sábados, as UBSs dos bairros Lago Azul, Jardim Luciana, Vila Rosalina e Parque Vitória estarão funcionando no mesmo horário;

Documentos necessários: certidão de nascimento da criança, comprovante de endereço e documento original com foto dos pais ou responsável legal que estiver acompanhando a criança.


Texto: Luana Nascimento - Foto: César Iury