Frente de combate as enchentes: rios são desassoreados

O período crítico de chuvas ainda não acabou e a cidade de Franco da Rocha mantém seu estado de alerta com relação ao problema de alagamentos e enchentes. Na manhã de quinta-feira, 21, as máquinas entraram no canal central do Ribeirão Eusébio, na Rua Amália Sestini, para o desassoreamento necessário para a obra de construção dos polderes para contenção de enchentes.

Polderes são diques construídos ao longo das margens dos rios para evitar a inundação das várzeas. Os polderes são dotados de tanques de reservação e sistema de bombas que drenam as águas das chuvas que se acumularem na várzea, lançando-as no rio.

A obra tem por objetivo controlar as enchentes dos rios em questão, que atingem em especial a região central da cidade, inundando inclusive a Prefeitura Municipal.

A obra é realizada pelo DAAE- Departamento de Águas e e Energia Elétrica e contará com a construção de dois piscinões, aumento das calhas dos rios e ribeirões da cidade. A obra está prevista para ser finalizada em 20 meses e teve seu início no final de 2011. É um investimento R$ 38,9 milhões.

A prefeitura de Franco da Rocha participa ativamente cedendo todas as informações e dados técnicos possíveis sobre enchentes na cidade e sobre localização de galerias de água pluvial para que a obra possa ser realizada da melhor maneira, evitando assim novos transtornos para a população que tanto sofre com as enchentes.


Publicada em
Desenvolvido por CIJUN
ACOMPANHE O BOLETIM DA DENGUE