Enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes: Equipe do Cras Monte Verde realiza apresentação de fantoches na Emeb Padre Egydio

A visita acontece em alusão à “Campanha Faça Bonito – Maio Laranja, mês de combate à exploração e abuso sexual infantil” no Brasil

Na última terça-feira (14), a equipe do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Monte Verde, organizou uma apresentação de teatro de fantoches na Emeb Padre Egydio José Porto. Com o título “A menina das cores”, o espetáculo, realizado por meio da Secretaria de Assistência Social, fez alusão à campanha “Campanha Faça Bonito – Maio Laranja, mês de combate à exploração e abuso sexual infantil” no Brasil.

A visita foi feita pelos funcionários Lavínia Cardoso, Luciene do Nascimento, Salatiel Fernando, Valéria Cristina e a gestora da unidade, Roseli Pimentel. Os fantoches contavam a história da menina que mudava de cor para cada sentimento. Em situações que ela gostava, a cor ficava verde, quando se sentia incomodada, amarelo, e para situações desconfortáveis, vermelho.

Além disso, também foi realizada a atividade “Farol do Toque”, em que as crianças aprenderam quais partes do corpo podem ou não ser tocadas. O exercício desperta nos alunos o conhecimento e alerta para possíveis abusos.

De forma didática, interativa e descontraída, todos puderam entender que, caso alguma situação semelhante aconteça, é importante não se calar e procurar um responsável de confiança para falar sobre a situação.

Segundo a gestora do Cras, Roseli Pimentel, levar informação para as crianças de forma lúdica facilita o entendimento. “Em diversos casos, vemos que as crianças não têm com quem falar, ou têm medo, quando passamos essa didática para eles em um ambiente com os amigos e professores, fica muito mais fácil o entendimento, evitando situações de abuso”.

Maio laranja

O dia 18 de maio foi denominado dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual infantil no Brasil em memória do caso Araceli, uma menina de apenas oito anos, que foi violada e violentamente assassinada em Vitória-ES, em 18 de maio de 1973. A data foi instituída oficialmente no Brasil por meio da lei nº 9970/2000.

Texto e foto: Carlos Augusto Dornelles


Publicada em • Leia mais sobre |
Desenvolvido por CIJUN
ACOMPANHE O BOLETIM DA DENGUE